23 de agosto de 2011
DELÍCIA DO SENHOR

Sexta-feira passada escrevi o texto de boas-vindas do blog no qual cito indiretamente um trecho de Isaías 62:4 em que Deus chama seus filhos de “minha delícia”. Mas isso me fez pensar como o Senhor pode ter esse sentimento por mim, uma pessoa com tantos defeitos e pecados. Então fui para a Igreja e, na volta, entrei no Orkut e no Facebook e fiquei lá perdendo tempo até bem tarde, como há muito tempo não fazia. Entrei na página de várias pessoas, vi a vida do povo, as fotos de carnavais, bares, shows e aí, só aí, compreendi porque o Pai se delicia com aqueles que recebem a Cristo.
 
Deus tomou conta da minha vida de uma forma tão intensa, definitiva e prazerosa que eu não me dei conta de tudo o que deixei para trás. Simplesmente deletei, e sem sacrifícios, aquele estilo de vida que não agradava a Deus.
 
Não que tenha sido proibida de fazer qualquer coisa… Longe disso. Eu apenas me conectei com Deus e passei a viver no mundo ao invés de ser do mundo, visto que este, como consta em 1 João 5:19, jaz no maligno.
 
Me lembrei, então, que eu vivia para mim mesma, para meus prazeres, minhas convicções, meus objetivos pessoais, meus amores, minhas neuroses e que, nos momentos de dor ou de grande alegria, eu clamava ou agradecia a Deus… Percebi, portanto, que Ele era a minha exceção, não a minha regra. Hoje Ele é cada dia, hora, minuto e segundo da minha vida.. É o meu respirar, o meu deitar, o meu levantar e são raros os momentos em que não está no meu pensamento.
 
Refletindo melhor, acho que as horas nas redes sociais não foram tão desperdiçadas assim, pois fizeram com que eu compreendesse um pouco do sentimento de Deus para com aqueles que decidem segui-lo… Sentimento de satisfação, de regozijo por nos ver resistir a um mundo tão cheio de possibilidades, de prazeres atraentes, de liberalidades, de doutrinas agradáveis aos ouvidos e de condescendência com o pecado.
 
Como Deus deve, realmente, se deliciar em sondar o coração de seus filhos e encontrar gratidão pelo sangue de Jesus, vontade de ser restaurado e de não pecar, sede em conhecê-lo, fome da palavra e desejo por almas.
 
Como devemos orgulhar o coração de Deus quando cremos nele sem nunca tê-lo visto com os olhos físicos ou quando enfrentamos o mundo sendo chamados de loucos e tendo a maioria dos nossos amigos ou conhecidos nos olhando torto (como eu fazia).
 
Obrigada Pai! Obrigada por me ver como sua delícia! O senhor também é a minha delícia! É a minha alegria, o meu rochedo, minha certeza, meu tudo!
 
Hoje, meu amigo, minha amiga, meu colega, aluno ou mesmo você que não conheço, eu quero te dizer uma coisa: Não há melhor sensação no mundo do que ser chamado de delícia do Senhor! Não há!
 
Eu vou te contar um segredo: Deus passou 1 ano batendo educadamente, porém insistentemente, na porta do meu coração, mas eu resisti! Eu tinha medo de ser difícil seguir a Cristo… Medo dos sacrifícios e do preconceito… Eu não sabia se conseguiria deixar as coisas do mundo para trás para viver uma vida “religiosa”. Mas um dia meu Pastor Humberto, que na época era apenas Beto, marido de uma colega de trabalho querida (hoje minha amada Pastora Paula), me explicou que há uma diferença entre seguir uma religião e seguir Jesus.
 
Ser religioso é seguir rituais, dogmas, restrições, doutrinas e leis. Já seguir Jesus é amá-lo… É ser apaixonado, é fazer dele o seu universo… É caminhar com Ele estando em seus princípios e ter o melhor de todos os conselheiros 24h por dia ao seu lado. É nunca estar só, desesperado ou desamparado. É se deliciar nele e Ele em você, e não há qualquer sacrifício nisso, pois tudo o que você, sem sentir ou até sentindo, abdica, é pouco comparado ao prazer da presença de Deus em sua vida.
 
Hoje, para a glória de Deus, eu frequento sim uma Igreja, um aprisco, um local de oração, de cobertura, de comunhão e proteção, e agradeço ao Pai todos os dias pelo lugar sério, comprometido e abençoado que Ele reservou para mim. Porém, antes de qualquer coisa, eu tenho amizade e cada dia mais intimidade com aquele que morreu para me salvar… Jesus, Yeshua, o amado da minha alma.
 
Que o Senhor te abençoe e que sua vida seja doce e deliciosa ao paladar de Deus!
 
Shalom, Delícia do Senhor!

Comentários