9 de janeiro de 2012
OS PASTORES E AS PALMEIRAS

Em Israel existe um tipo de palmeira chamado tamareira. Essa árvore, que atinge até 30 metros de altura, se adapta muito bem às regiões desérticas por possuir raízes profundas que conseguem extrair água do subsolo quando a superfície está totalmente seca.

 

Mesmo em meio às tempestades de areia a tamareira consegue frutificar por até 200 anos, e independentemente dos fortes ventos ela não inclina… Se mantém firme e ereta na direção do céu.
 
 
O fruto da tamareira é calmante, altamente energético e nutritivo, capaz de sustentar o homem por longos períodos… Por esses motivos, essa árvore é tão importante para as pessoas daquela região, sendo citada diversas vezes na Bíblia e tendo inspirado o formato das atuais ilhas artificiais de Dubai.
 
 
A exemplo das palmeiras de Elim citadas em Números 33:9, vemos que essas árvores compõe os oásis e fornecem o descanso que ele representa. Suas folhas cobrem as tendas na festa de Tabernáculos (Levítico 23:40), além de terem servido de inspiração para os entalhes do Templo construído por Salomão (1 Reis 6:29) e para suas colunas e capitéis. Débora habitava debaixo das palmeiras (Juízes 4:5), Jericó era conhecida pelo nome de “Cidade das Palmeiras” (Deuteronômio 34:3), o livro de Cantares (7:7) alude à sua elevada estatura e Jesus foi recepcionado com palmas em Jerusalém (João 12:13).
 
Mas dentre tantas citações, a de Davi, no Salmo 92:14 é especial: “O justo florescerá como a palmeira.” E esta palmeira representa os verdadeiros ungidos do Senhor.
 
 
Em um momento de tantos escândalos envolvendo igrejas e líderes, a terra tem estado seca, porém aqueles pastores que possuem raízes profundas em Deus e buscam se alimentar da Palavra e do Espírito, conseguem dar às suas ovelhas tâmaras que as consolam e fortalecem por longos períodos.
 
Muitas são as tempestades, mas os verdadeiros ungidos não param de frutificar, e assim acontecerá ainda quando estiverem idosos.
 
Os ventos são constantes, mas os pastores que são palmeiras não se inclinam. Ao contrário, se tornam altos em Deus e com caráter firme.
 
Em meio a um deserto composto de erros, a presença desses pastores em nossas vidas é refrescante e tranqüila como um oásis, e até nos momentos de alegria eles representam a nossa cobertura, quem dirá nos de dor.
 
O exemplo de vida deles adorna os Templos onde eles congregam e servem de inspiração para que colunas sejam erguidas na vida de cada ovelha.
 
Assim como Débora, a habitação do servo de Deus é debaixo da autoridade deles, mais precisamente na “Cidade das Palmeiras”, que nada mais é do que a igreja, independentemente da denominação.
 
É grande a estatura da obra dos verdadeiros ungidos, sendo ela o tronco forte de muitas vidas, e através destes ministérios-palmeira o Senhor Jesus é louvado e engrandecido, como aconteceu na sua entrada em Jerusalém…
 
E porque são justos, tais pastores florescerão.
 
Se você é ovelha de um verdadeiro ungido de Deus, ore por ele e por seu ministério, pois assim como Joel 1:12 relata, as palmeiras, por um tempo, podem ser vítimas de gafanhotos cortadores, migradores e devoradores. Mas a dor e a batalha não são para sempre, pois a exemplo de Joel 2, Deus se mostra misericordioso e zeloso e os pastores-palmeiras sempre reverdecerão.
 
Já para você, que por testemunhar tantos escândalos não acredita na seriedade das igrejas evangélicas, saiba que há pastores e ministérios que são como palmeiras e não há felicidade maior do que descansar na sua sombra e comer do seu fruto, pois as raízes destas igrejas estão em Deus, o único capaz de reverdecer os nossos corações e os nossos sonhos.
 
Não temas, ó terra, regozija-te e alegra-te, porque o senhor faz grandes coisas…
Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, regozijai-vos no Senhor, vosso Deus, porque Ele vos dará em justa medida a chuva; fará descer como outrora, a chuva temporã e a serôdia.
As eiras se encherão de trigo, e os lagares transbordarão de vinho e de óleo.
Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros. Comereis abundantemente, e vos fartareis, e louvareis o nome do Senhor, vosso Deus, que se houve maravilhosamente convosco; e o meu povo jamais será envergonhado.
Sabereis que estou no meio de Israel e que eu sou o Senhor, vosso Deus, e não há outro; e o meu povo jamais será envergonhado.
Joel 2:21-27
 
 

Comentários